O Ensino da História Indígena da Educação Infantil através das Lendas – Caroline Branco

31/05/2011 23:00

 

 

O Ensino da História Indígena da Educação Infantil Através das Lendas

 

Caroline do Couto Branco

 

 

Resumo: Este artigo trata sobre o ensino da historia indígena na educação infantil através das lendas. Inicialmente veremos um breve trecho sobre a importância da cultura indígena dentro do contexto histórico que conhecemos. A seguir como as lendas podem ajudar no ensino desta história para as crianças.

Palavras-chave: Lendas; ensino; história Indígena.

      A cultura brasileira é bem diversificada e normalmente tem grande influência no mundo. Dentro dessa imensidão temos a cultura indígena, que faz parte de nossa história, pois herdaram e passaram adiante um rico conhecimento, formas artísticas, tradições religiosas e culturais, Inclusive existem pessoas que seguem certa religião, apreciam tal arte e nem imaginam que estas podem ter vindo das culturas indígenas.

 

 

      Como vemos, conhecer um pouco dos costumes desse povo é voltar ao passado e ao mesmo tempo conhecer os índios que habitam o nosso país nos dias atuais. Essa cultura inclui não só crenças e costumes, mas também os mitos e lendas que são passados de geração em geração dentro das aldeias.  

 

      O trabalho com as lendas facilita a compreensão da criança acerca dos costumes e crenças indígenas, porque mexem com seu imaginário e fantasia, principalmente porque tentam explicar a existência de fenômenos e elementos naturais do nosso dia-a-dia através das histórias. Como exemplo disso, veremos a lenda da Mandioca.

 

 

 

A LENDA DA MANDIOCA

   Em uma certa tribo indígena a filha do cacique estava grávida. Tomando conhecimento de tal fato, o cacique ficou muito triste, pois sonhava que a sua filha iria se casar com um forte e ilustre guerreiro. No entanto, ela estava esperando um filho de um desconhecido.

   Uma noite, o cacique sonhou que um homem branco aparecia em sua frente dizendo para ele que não ficasse triste, pois sua filha não o enganaria; ela continuava sendo pura. A partir desse dia o cacique voltou a ser alegre e a tratar bem sua filha novamente. Algumas luas se passaram e a índia deu à luz a uma linda menina de pele muito branca e delicada  que recebeu o nome MANI.

    Mani era uma criança muito inteligente e alegre, sendo muito querida por todos da tribo. Mas um dia em uma manhã ensolarada, Mani não acordou cedinho como de costume. Sua mãe foi acordá-la e a encontrou morta. A índia, desesperada, resolveu enterrá-la à entrada da maloca. Todos os dias a cova era regada pelas lágrimas saudosas de sua mãe.

    Um dia, quando a mãe de Mani foi até a cova para regá-la novamente com lágrimas, percebeu que uma ela planta havia nascido naquele local. Era uma planta totalmente diferente das demais e desconhecida de todos os índios da floresta. A mãe de Mani começou a cuidar desta plantinha com todo o carinho, até que um dia percebeu que a terra a sua volta apresentava rachaduras.

     A índia imaginou que sua filha estava voltando à vida e, cheia de esperança, começou a cavar a terra. Em lugar de sua querida filhinha encontrou as grossas raízes da planta, branca como o leite, e que veio tornar-se alimento principal de todas as tribos indígenas.

 

    As lendas inclusive, seriam uma nova sugestão para que se cumpra a lei 11.645/2008, que torna obrigatório o ensino da cultura afro-brasileira e indígena nos currículos escolares. Segundo Coelho (2003), a partir de uma lenda, por exemplo, o professor pode fazer com que os alunos travem o primeiro contato com essa diversidade e assim enriquecendo suas perspectivas de mundo, de ciência, de moral, ao comparar como essas questões são veiculadas no texto em estudo e na cultura da qual o aluno faz parte.

     Esse trabalho levará o aprendiz a perceber como os “mundos” não são só diferentes de cultura para cultura, mas como são produtos histórico-sociais próprios de uma determinada comunidade, e fará com que este venha a ter curiosidade sobre pesquisar cada vez mais, além de ajudá-los a formar uma opinião sobre este tema.

 

 

 

 

 

 

Referências Bibliográficas

 

 

http://educarparacrescer.abril.com.br/politica-publica/cultura-indigena-624847.shtml

COELHO, Maria do Carmo, As Narrações da Cultura Indígena da Amazônia: Lendas e Histórias, 2003 disponível no site  http://www.pucsp.br/pos/lael/lael-inf/teses/Maria_carmo.pdf

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2008/lei/l11645.htm